Contraste |
| |

    Iniciativa da Universidade integra propostas aprovadas pela UNESCO

    Um projeto da UEMG aparece em meio às ações comunicadas como aprovadas, no final de agosto, pela Iniciativa de Erradicação do Racismo na Educação Superior da América Latina, braço de atuação da Cátedra UNESCO “Educação Superior e Povos Indígenas e Afrodescendentes na América Latina”.

    Intitulada “Ações Afirmativas no Ensino Superior: refletindo sobre a experiência da Universidade do Estado de Minas Gerais”, a proposta elaborada por integrantes do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Educação e Relações Étnico-Raciais (NEPER) consiste num seminário virtual a ser realizado no mês de novembro deste ano, por ocasião da Semana da Consciência Negra. O projeto foi reconhecido pela UNESCO no contexto de sua chamada para propostas voltadas à promoção de reflexões e debates sobre as múltiplas formas de racismo que ainda persistem nas políticas, nos sistemas e nas instituições de educação superior na América Latina, no intuito de erradicar este problema.

    Com a aprovação na campanha, a iniciativa contará com suporte institucional da Cátedra da UNESCO, que também irá promover campanhas para aumentar a visibilidade em torno das ações escolhidas, além de facilitar o contato e colaboração entre os times das 20 ações latinoamericanas que foram contempladas – a proposta da UEMG foi uma das cinco brasileiras admitidas.

    “Entendemos que esta importante aprovação internacional fortalece o debate acerca do combate ao racismo em nossa universidade, propiciando espaços dialógicos com outras instituições e pesquisadores da América Latina, o que poderá reverberar em possibilidades de intercâmbio e outras ações de formação, de modo que cada vez mais se exerça a luta pela erradicação do racismo no Brasil e no mundo”, avalia a coordenadora da proposta da UEMG, Prof.ª Dr.ª Vitória Régia Izaú, que também é presidente da Comissão Central de Heteroidentificação da Universidade.

    A equipe envolvida na ação reúne ainda: Prof. Dr. Hilton César de Oliveira (vice-coordenador da iniciativa), Prof. Dr. José Eustáquio de Brito, Prof.ª Dr.ª Rogéria Cristina Alves, Prof.ª Dr.ª Santuza Amorim da Silva, Prof. Dr. Jurandir Souza – todos da Faculdade de Educação –, além da técnica administrativa da Unidade João Monlevade Renata Janaína Carmo e da Prof.ª Dr.ª Adriana Severo Rodrigues, da Unidade Divinópolis – as duas são presidentes das Comissões Locais de Heteroidentificação de suas unidades.

    © 2021 UEMG