Contraste |
| |

    UEMGathon | Defesa da inovação no meio universitário é destaque na abertura do evento


    nit uemgathon abertura interna

    Neste 8 de julho, declarado o Dia Nacional da Ciência e o Dia Nacional do Pesquisador, teve início o 1º UEMGathon, maratona de inovação social da Universidade do Estado de Minas Gerais. A abertura do evento se deu pela manhã, com palestra magna do doutor em Física pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT-EUA) e atual diretor do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC-USP), professor Vanderlei Salvador Bagnato, que também é ex-coordenador da Agência USP de Inovação.

    Em sua fala, apresentada em ambiente virtual disponibilizado aos inscritos no UEMGathon, Dr. Vanderlei trouxe à tona conceitos e questões relacionados à inovação, pontuando comentários de quem vivencia esse universo, nacional e internacionalmente, há praticamente 40 anos

    Tema central da exposição foi a necessidade de alinhar as atividades de inovar e empreender. A primeira seria própria às universidades, que são fecundas em experimentações teóricas e na análise crítica dos problemas da sociedade. Já empreender significa converter uma proposta de solução em bem ou serviço de mercado, contribuindo diretamente com a economia, como fazem as empresas.

    Segundo o especialista, na passagem da inovação ao empreendedorismo – incluindo etapas como a proposição da ideia, sua submissão à prova de princípios (testagem conforme as determinações técnico-científicas), prototipagem (criação de modelo de aplicação prática), conversão em produto e comercialização (o que depende de requisitos como capacidade de ser produzida em escala, de ser transportável e vendida nos parâmetros do mercado) –, esses dois agentes, empresas e instituições de pesquisa, possuem competências distintas e complementares. Assim, para o bem da economia e da sociedade, devem aprender a cooperar.

    Para o Dr. Vanderlei, as universidades e institutos de pesquisa têm a obrigação de participar da inovação. “Além da formação de recursos humanos, inovar é a forma de darmos retorno ao Estado pelo investimento que faz no Ensino Superior. A sociedade nos paga para ter ideias”, defende.

    Inovação na prática
    Logo mais, a partir das 14h, as equipes – cujos participantes já foram divulgados ontem – darão início aos processos de ideação, sob orientação dos mentores, em salas virtuais exclusivas, conforme a seguinte distribuição:

    nit uemgathon abertura interna lista mentores nova


    Como explica a coordenadora geral do Núcleo de Inovação Tecnológica e Transferência de Tecnologia (NIT-UEMG) – responsável pelo evento, professora Daniela Rocco, que é doutora em Desenvolvimento Sustentável e pesquisa temas como empreendedorismo, economia criativa, as equipes irão passar pelas primeiras etapas do chamado Design Thinking, abordagem teórico-prática para a resolução de problemas. As fases que serão percorridas são três: “empatia” – compartilhamento e alinhamento de inquietações e expectativas, em que os participantes das equipes tentarão se colocar no lugar de quem precisa que determinados problemas sejam resolvidos; “definição” – escolha consensual do problema pelo grupo; “ideação” – discussão das ideias e soluções possíveis em forma de produtos/serviços (processo que será conduzido por meio de brainstorming, que pode ser traduzido como “chuva de ideias”).

    Além disso, para as tomadas de decisão, deverão ser levados em conta critérios como criatividade e inovação (ineditismo), impacto (quantidade de pessoas beneficiadas) e economicidade (valor agregado e/ou economia gerada pela inovação).

    Para contextualizar as propostas, a organização do evento propõe uma série de eixos temáticos, como mobilidade, meio ambiente, educação, cultura e bem-estar. “Mas não há qualquer impedimento para novas abordagens. O intuito é mesmo potencializar a criatividade”, ressalta Daniela.

    Segundo dia
    Amanhã (09), em programação aberta também aos ouvintes inscritos, será a vez dos pitchs, breves relatos das soluções propostas, e dos feedbacks da Comissão Julgadora, que é integrada pelos professores da UEMG Alexandre Túlio Amaral Nascimento (Unidade João Monlevade), Eduardo Meireles (Unidade Frutal), Fernanda Rossi Paolillo (Unidade Passos), Lucas Cristiano Ferreira Alves (Escola de Design), além da coordenadora geral do NIT-Unimontes (Universidade Estadual de Montes Claros), Profa. Sara Gonçalves Antunes de Souza.  

    Já no final do dia, por volta das 17h, ocorrerá a avaliação final e a premiação das equipes de maior destaque.

    Tags:
    UEMG

    Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves
    Rodovia Papa João Paulo II, 4143
    Ed. Minas - 8º andar
    Belo Horizonte - MG
    Cep31630-900

    • dummy+55 (31) 3916-8696 / 3916-8697

    • dummy faleconosco@uemg.br

    © 2022 UEMG