Contraste |
| |

    Professor da FaE conversa sobre formação para a educação das relações étnico-raciais

    O professor da Faculdade de Educação da UEMG, José Eustáquio de Brito, foi convidado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Africanidades, da Universidade Federal de Juiz de Fora para conversar sobre o tema Formação para a Educação das Relações Étnico-raciais

    Em sua participação, o professor da UEMG discorreu sobre o tema a partir de uma perspectiva histórica para demonstrar que a educação sempre esteve na pauta do Movimento Negro brasileiro desde o período pós-abolição formal da escravidão. De acordo com ele, a Lei 10.639/2003, que alterou a Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional inserindo a obrigatoriedade do ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira na educação básica é resultado desse acúmulo histórico.

    "[Essa discussão] emerge no contexto em que a política externa do governo brasileiro considera os países do continente africano como aliados estratégicos no contexto da nova ordem internacional", recorda. Ainda de acordo com o expositor, a implementação bem-sucedida da educação das relações étnico-raciais como um conteúdo curricular apresenta como um de seus principais limites a formação inicial e continuada de professores. "Por isso, é fundamental desenvolver esforços institucionais e pedagógicos para que o conhecimento acerca da identidade afro-diaspórica seja traduzido em estratégia de combate ao racismo e fortalecimento da identidade negra em nosso país", afirma.

    Tanto a participação do professor Josè Eustáquio de Brito, quanto a série de encontros programada e produzida pelo grupo de Estudos da UFJF, podem ser acessados em canal próprio em rede social de compartilhamento de vídeos

    © 2021 UEMG