Contraste |
| |

    Professora da UEMG Passos publica livro sobre o brincar e a relação com a linguagem escrita

    Redação Agencia Escola – Unidade Passos

    André Castro – 4° P. de Jornalismo

    Juliana Cristina Bomfim, professora do curso de Pedagogia da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) – Unidade Passos, publica livro, intitulado “O papel do brincar na apropriação da linguagem escrita”, sob o Selo Editora Oficina Universitária, da Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista ‘Júlio de Mesquita Filho’ (Unesp), campus de Marília, em parceria com a Editora Unesp, especificamente o Selo Cultura Acadêmica. Esse importante feito foi alcançado por meio do Convênio PROEX/CAPES, que financia a publicação de livros resultantes de pesquisas acadêmico-científicas inéditas, de autoria de discentes e docentes egressos do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Unesp de Marília.

    “Na ocasião, recebi um e-mail da coordenação do PPGE da UNESP de Marília com o convite para participar da Chamada em edital. Dessa forma, submeti a proposta de publicação do livro, que é resultado da minha dissertação de mestrado, defendida em 2012. A proposta foi avaliada por uma comissão específica e, após alguns meses, obtive a resposta da aprovação da publicação”, revela Juliana Bomfim. A docente completa que: “fiquei muito feliz, uma vez que houve uma rigorosa seleção e avaliação.”.

    Sobre a importância do estudo hoje, a professora relata que a pandemia e a educação, através da tela, podem ter causado muito “prejuízo” na aprendizagem das crianças, especialmente na aquisição da linguagem escrita. Ela ainda revela que, (pode tirar essa vírgula) “este livro proporciona reflexões sobre o papel do brincar no processo complexo do desenvolvimento histórico e cultural da apropriação da linguagem escrita na criança pré-escolar. Ressaltando-o como fonte de desenvolvimento da função simbólica, e, portanto, como atividade-guia que cumpre função primordial na pré-história do desenvolvimento da linguagem escrita”.

     Além da publicação na Editora Unesp, a docente também publicou um capítulo de livro em coletânea da Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial (ABPEE). Juliana Cristina Bomfim trabalha há dez anos com formação de professores em Educação Especial e tem experiência como professora de crianças Surdas em escolas públicas da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. O convite para participar do compilado e a publicação do estudo aconteceram no último ano, mas o livro só foi disponibilizado em formato e-book gratuito em 2022.

    A docente acredita que foi convidada pelos organizadores para participação no livro graças aos dez anos de experiência que tem na formação de professores de Educação Especial e no trabalho como professora de crianças Surdas no Estado de São Paulo. “De modo especial, a importância do convite se situa no fato de a editora ser um espaço que visa servir como veículo para integração e intercâmbio técnico-científico entre pesquisadores, profissionais e professores das áreas de educação especial”, comenta Juliana Bomfim. No momento, a docente está focada em seu doutorado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e espera publicar novos livros a partir das pesquisas realizadas durante a formação. Ela expressa que ainda não submeteu obras para publicação com a Editora UEMG, mas isso está em seus planos.

     

     

    © 2022 UEMG